WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Geral

Pôlemica: Novo vídeo do Porta dos Fundos é alvo de boicote e criador desabafa

Um vídeo do grupo “Porta dos Fundos” tem rendido polêmica nas redes sociais. O alvo da piada dessa vez foi a Operação Lava Jato, com a Polícia Federal recebendo críticas do grupo de humor. Depois disso, internautas que discordam do vídeo fizeram uma mobilização para boicotar o grupo, votando em massa para negativar a produção na plataforma Youtube. Um dos criadores do Porta dos Fundos, Antonio Tabet, desabafou sobre a situação.

RTEmagicC_8d85b7a225.jpg

“A Porta dos Fundos tem sido vítima, nas últimas horas, de uma campanha promovida por páginas ou sites de oposição ao governo (aqueles que os petistas gostam de chamar de “direita” e que várias vezes já até compartilhei por aqui) para que as pessoas nos boicotem por conta do vídeo de ontem, “Delação”, que satiriza, com humor, o que as pessoas que defendem Dilma e companhia chamam de justiçamento seletivo (…) Contudo, não abro mão da democracia e da liberdade. Acredito que todos têm o direito de se expressar. Inclusive aqueles que discordo e principalmente nos locais onde trabalho”, escreveu Tabet no Facebook.

Tabet diz que discursos cheios de ódio são uma preocupação atual. “Esse revanchismo bobo só fomenta o ódio. Incentivar a censura ou a intolerância nada mais é que um recibo de que você pode ser tão fascista quanto os fascistas que critica. Sejam eles imperialistas americanos ou comunistas cubanos. Sem falar na ignorância de quem coloca a Lei Rounet no bolo sem saber que não cobramos cachê que cobraríamos em outros filmes, mas pagamos com justiça uma equipe com centenas de profissionais trabalhando no país da crise”, continuou.

RTEmagicC_159769f91c.jpg

O vídeo foi publicado no sábado. Ele traz Fábio Porchat e Gregório Duviver em uma cena de delação em que um deputado (Porchat) cita escândalos de corrupção envolvendo o PSDB e o agente da PF, vivido por Duvivier, mostra que não tem interesse nas informações. Quando o parlamentar cita um arroz de lula que comeu em viagem à França, o policial se interessa e pede que um mandado de prisão seja emitido.

Logo que a esquete foi ao ar, ganhou críticas porque estaria desmoralizando o trabalho da PF com a Lava Jato, ao insinuar uma partidarização. O vídeo já acumula mais de 3 milhões de visualizações, com mais de 200 mil likes e mais de 400 mil dislikes. (Fonte: Correio da Bahia)

Assista ao vídeo:

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar