WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Geral

Embasa alerta para necessidade da redução do consumo de água em Vitória da Conquista

A falta de chuvas e a consequente redução do volume de água armazenado nas barragens de Água Fria I e II, assim como no rio Catolé, estão levando a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) a iniciar uma campanha de conscientização para o uso racional da água distribuída em Vitória da Conquista. Essa é mais uma iniciativa para garantir a continuidade do abastecimento de água diário e regular, na cidade, diante dos efeitos da estiagem prolongada e atípica que acontece em toda a região.

Atualmente, os reservatórios possuem 2,9 bilhões de litros de água acumulados, o que significa 45% de sua capacidade total de acumulação. Enquanto isso, a adutora do Catolé, que já chegou a ser responsável por 45% da água distribuída na cidade, hoje representa apenas 20% da oferta.

De acordo com o gerente local da Embasa, Álvaro Aguiar, em períodos normais, os rios Água Fria, Mono e Catolé disponibilizam, em média, até 50 mil litros de água a cada dia, na área de captação da Embasa. Deste total, são retirados 45 mil para atender ao Sistema Integrado de Abastecimento de Vitória da Conquista. No entanto, devido à forte estiagem e à ação dos irrigantes, os três rios estão ofertando apenas 13 mil litros, ou seja, 32 mil litros abaixo do volume necessário para manter a recuperação diária das barragens. Com isso, explica o gerente, os níveis das barragens e a disponibilidade do rio Catolé estão baixando a cada dia, pois o volume de água retirado é maior do que a disponibilidade hídrica dessas bacias hidrográficas, que deveriam ser recarregadas pelas chuvas de janeiro, mas isso não ocorreu este ano pela insuficiência de chuvas.

A disponibilidade hídrica das bacias dos rios Catolé, Água Fria e Monos é monitorada diariamente pela Embasa e pelo Inema, órgão ambiental do Governo do Estado responsável pela gestão e fiscalização da utilização dos recursos hídricos estaduais. “Para se ter uma ideia do cenário atual, no período mais drástico de 2012/2013 a barragem perdia, no máximo, 10 mil litros por dia. Hoje, perdemos 32 mil. Isso indica que precisamos consumir menos água”, conclui Álvaro.

Recomendações

Nesse cenário, é importante evitar o uso de água potável para a lavagem de carros, de calçadas ou rega de plantas e jardins. Para esses fins, é recomendável o reuso da água de lavagem de roupas ou da lavagem de hortaliças e legumes (ver mais dicas no hotsite eueconomizoagua.com.br). Também é preciso que a população seja vigilante em relação a vazamentos na rede interna do imóvel onde mora ou de onde frequenta, como shoppings, centros comerciais e repartições públicas e em relação a vazamentos na rua.

Álvaro Aguiar lembra também que medidas simples, como estabelecer uma média de consumo diária e acompanhar pelo hidrômetro, tem resultados significantes tanto para o sistema de abastecimento, quanto para a redução do valor cobrado na conta do morador.

Para informar sobre vazamentos na rede pública distribuidora de água, basta ligar 0800 0555 195 para que a Embasa providencie o conserto da tubulação e evite perda de água na distribuição. (Ascom Embasa)

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar