Atuação da Viabahia na região é pauta de sessão especial da Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista

Atuação da Viabahia na região é pauta de sessão especial da Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista
05 agosto 09:16 2018 Imprimir

câmara - viabahiaNa manhã da última sexta-feira, 3, a Câmara Municipal de Vitória da Conquista (CMVC) discutiu mais uma vez sobre a atuação da Viabahia, concessionária que explora o trecho baiano da BR 116 e a BR 324, através de uma Sessão Especial sobre o assunto. A discussão contou com a participação de várias autoridades, bem como da própria Viabahia. O presidente do Legislativo Municipal, Hermínio Oliveira (PPS) mais uma vez criticou a falta de atuação da Viabahia na região de Vitória da Conquista, a despeito de cobrar pedágios na região, uma vez que explora a concessão da via no trecho que corta o estado da Bahia, bem como a BR – 324. O presidente da Câmara cobrou ainda a construção de viadutos nos cruzamentos entre o Anel Rodoviário e outras rodovias e avenidas, como na saída para Barra do Choça, Campinhos, Brumado e Urbis VI. Além disso ele cobrou também a duplicação no trecho entre Planalto e a entrada do distrito de São João da Vitória (Batuque), que segundo ele já deveria ter começado, e também o alargamento do bueiro entre os bairros Nossa Senhora Aparecida e Guarani.

Comportamento de pedestres e motoristas é o grande gerador de acidentes – O inspetor Ramalho, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), frisou que existem trechos da BR 116, coberta pela Viabahia, que enfrentam situação crítica. Segundo estudo da própria instituição, a maior parte dos acidentes é provocada pela conduta de pedestres e motoristas. Ele destacou que no Anel Viário a maior ocorrência é de atropelamentos, especialmente nos quilômetros 10 e 20. “É um trecho que sofre bastante com acessos irregulares”, disse. O inspetor afirmou que o surgimento de ruas e avenidas que alcançam o anel sem ordenamento de trânsito piora a situação. Ramalho também relatou problemas de falta de iluminação em diversos pontos da rodovia. Ele acredita que uma coletiva entre a Viabahia, ANTT, PRF, Prefeitura e Câmara pode solucionar esses problemas.

Anel Viário repleto de pontos críticos – Representando a Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, o secretário municipal de Infraestrutura Urbana, José Antônio Vieira, destacou que a cidade tem trechos bastante críticos envolvendo a BR 116. Ele lembrou que quando projetado, há 20 anos, o Anel Rodoviário Jadiel Matos era completo e contemplava 4 viadutos, iluminação e vias paralelas que não foram implantados em sua totalidade devido à falta de verbas, sendo construído apenas um viaduto, na região do Distrito Industrial dos Imborés. O secretário garantiu que o Governo Municipal está buscando melhorias, principalmente para os trechos críticos do Anel.câmara - viabahia e vereadores

Concessionária reconhece problemas e promete soluções coletivas –O representante da Viabahia, Carlos Bonini, afirmou que está disposto a encontrar soluções e espera a colaboração da Prefeitura, Câmara, ANTT e Estado da Bahia. Bonini frisou que a Viabahia passa por dificuldades diante da crise econômica e mudanças na política de financiamento do BNDES. “Tivemos dificuldade em tocar alguns projetos”, falou.

Ele explicou que o contrato da concessionária está sendo revisado e deve incluir obras reivindicadas por comunidades conquistenses. O novo contrato deve atender “a todas as cidades” e não só aqueles que trafegam pela rodovia. Já sobre o bueiro, que liga os bairros Nossa Senhora Aparecida e Guarani, afirmou que melhorias naquele local não fazem parte do contrato, mas um projeto de sinalização que depende da autorização da prefeitura. o representante da Viabahia informou que até o mês de novembro a concessionária deve reativar e finalizar obras de iluminação no trecho conquistense da BR 116. Sobre o acesso ao novo aeroporto, informou que um estudo está sendo feito. A obra também não faz parte do contrato, mas está sendo avaliada. “Nós temos muito interesse em executá-la”, afirmou.

Crise econômica afetou sustentabilidade de concessionárias – O superintende de Exploração da Infraestrutura Rodoviária da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Fábio Luiz Lima de Freitas, afirmou que a crise econômica atingiu em cheio as concessionárias. Ele relatou que ao menos seis enfrentam problemas gravíssimos. Além disso, o formato de composição da tarifa que as concessionárias praticam está defasado e houve uma queda de 15% no movimento das rodovias.

Outra complicação é a mudança na política de financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). A previsão era até 70% de financiamento dos projetos. A taxa não chega a 30% com as mudanças. “

A Síndica do Condomínio Vila Verde, Kátia Franco, disse que até hoje os moradores do condomínio não tiveram o acesso ao direito de um acesso direto à BR 116. “Nós tivemos um direito tirado. Nós moramos num condomínio e esse acesso foi negado pela Viabahia. Estamos ali há seis anos e a Viabahia nunca nos procurou para nada, a Prefeitura também não”, apontou ela reclamando da falta de estrutura do condomínio do Minha Casa Minha Vida. “A gente teve um direito e ele nos foi tirado.

Fonte: ASCOM

 



Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.