Festa Literária Internacional de Cachoeira começa nesta quinta-feira (11)

Festa Literária Internacional de Cachoeira começa nesta quinta-feira (11)
11 outubro 07:47 2018 Imprimir

A cidade de Cachoeira, localizada a 120 km de Salvador, será tomada pela arte e pela literatura entre os dias 11 e 14 de outubro. Um dos maiores e mais renomados eventos literários do país, a Flica (Festa Literária Internacional de Cachoeira) chega à sua oitava edição e reunirá uma programação variada, conduzida por autores da literatura nacional e internacional, que promete agradar adultos e crianças. O evento tem o patrocínio do Governo do Estado da Bahia, o apoio da Prefeitura Municipal de Cachoeira, Caixa e Governo Federal, e realização da Icontent e Cali.

Assim como em 2017, a curadoria das Mesas Literárias da Flica é assinada pelo escritor, jornalista e fotógrafo baiano Tom Correia, e contará com dez mesas, formadas por autores locais, nacionais e internacionais, que discutirão temas diversos que prometem envolver os amantes da literatura em Cachoeira.

A escritora homenageada será Conceição Evaristo, uma das autoras negras mais bem reconhecidas do país que, aos 71 anos, é responsável por obras marcantes como “Ponciá Vicêncio” (2003), “Becos da Memória” (2006), Insubmissas Lágrimas de Mulheres (2011), Histórias de Leves Enganos e Parecenças (2016) e também a obra com o qual conquistou o Prêmio Jabuti: Olhos D’ Água (2014). Pela segunda vez participando da Flica, ela estará presente na mesa “Admiráveis Olhos D’água Que Nos Contemplam”, com mediação de Lívia Natália, que acontecerá no sábado (13), às 20h.

Além de Evaristo, o evento terá a presença do premiado escritor português Valter Hugo Mãe que participa da mesa de abertura “Escritores em um mundo intolerante e deserto de compaixão” com participação do escritor baiano Aleilton Fonseca e mediação de Zulu Araújo, diretor da Fundação Pedro Calmon, que acontecerá na quinta-feira (11), às 15h. No mesmo dia, a partir das 19h, o autor paulista Julián Fuks e a contista cachoeirana Aidil Araújo Lima farão parte da mesa “Pequenas revoluções em nossas trincheiras cotidianas”, com mediação do poeta e professor Wesley Correia.

Já na sexta-feira (12), a programação inicia a partir das 10h. A escritora e crítica literária Noemi Jaffe e o poeta, músico e artista plástico mineiro Ricardo Aleixo compõem a mesa “A leveza das orquídeas mais pesadas que a ventania”, com mediação da poeta e professora Mônica Menezes. Pela tarde, os debates continuam às 15h com o romancista e crítico mineiro Silviano Santiago e o escritor baiano Marcus Vinícius Rodrigues que integram a mesa “A feroz inquietude da escrita”, com mediação da professora Luciene Azevedo. À noite, a premiada escritora colombiana Margarita García Robayo, pela primeira vez no Brasil e inédita em português, e a poeta Ryane Leão, sucesso do Instagram (com mais de 250 mil seguidores), compõem a mesa “Sobre os corpos que brilham e tudo queimam”, mediada pela jornalista Vânia Dias.

No sábado (13), a jornalista e escritora gaúcha Eliane Brum e a escritora baiana Catarina Guedes participam da mesa “Um olhar feminino sobre a arte de sujar sapatos”, com mediação da jornalista e professora Malu Fontes, a partir das 10h. Pela tarde, a partir das 14h, o poeta paulista Zack Magiezi, com mais de 900 mil seguidores no Instagram, e o escritor baiano Edgard Abbehusen farão parte da mesa “Os filtros que usamos na literatura do nosso tempo”, com mediação da jornalista Jéssica Smetak. E, a partir das 17h, a professora de sociologia norte-americana Patricia Hill Collins e a filósofa paulista Djamila Ribeiro integram a mesa “Onde vivem as personagens que nos representam”, com mediação da professora Florentina Souza.

E no domingo (14), às 10h, encerrando a Flica 2018, o evento Diálogos Insubmissos de Mulheres Negras, com temas sobre as mulheres negras, suas dores, desejos, medos, e lutas por sobrevivência, que, nessa edição especial em Cachoeira, trará uma mesa com a professora Florentina Souza e a filósofa Manuela Barbosa, com mediação da coordenadora dos Diálogos, Dayse Sacramento, e participação especial do Coletivo Zeferinas.

FLIQUINHA – Desde 2013, as crianças ganharam um espaço exclusivo na programação da Flica. A Fliquinha garante uma programação especial à garotada, com contações de histórias, bate-papos e apresentações teatrais e musicais direcionados para o mundo infantil. Com curadoria de Lilia Gramacho e Mira Silva, a programação conta com 22 atrações, e se destaca como verdadeiro convite às crianças para revisitarem expressões narrativas como objetos de prazer, de ludicidade e de descoberta.

Na quinta (11), a criançada poderá se divertir, a partir das 9h30, com a contação de história com o ator Ângelo Flávio. Em seguida, às 10h30, o bate-papo será com a premiada autora baiana Gláucia Lemos. A partir das 11h30, os pequenos poderão curtir o espetáculo infantil Cadeira de Brim. No período da tarde, a programação continua, a partir das 14h30, com a contação de histórias e poesias com Luisa Mahim e Casa de Barro; às 15h30, o bate-papo com autor nacional será com o premiado escritor e ilustrador Roger Mello, mediado por Mira Silva, e, em seguida, às 16h30, acontecerá o espetáculo infantil Ver Filme Com Selma Santos. Já à noite, a Fliquinha promoverá um encontro especial para professores e pais com o autor Roger Mello, às 19h30.

Já no Dia das Crianças, na sexta (12), a partir das 9h30, a escritora Lulu Lima participa do bate-papo e fala sobre o livro A Coruja Me Contou?. Em seguida, a partir das 10h30, o bate-papo com autor nacional será com o ilustrador e autor Odilon Moraes; e, no final da manhã, a partir das 11h30, os pequenos poderão conferir o espetáculo infantil Saulus Em Busca da Ilha Perdida. No período da tarde, a festa continua para a criançada, com a contação de histórias do grupo baiano Canastra Real, a partir das 14h30, e, em seguida, o bate-papo com a autora Ana Cláudia Bastos. Já às 16h30, acontece a apresentação do Teatro Griô. E, à noite, um bate-papo especial para professores e pais com o autor Odilon Moraes, às 19h30.

No sábado (13), a programação da Fliquinha continua, e a garotada irá conferir, a partir das 9h30, um bate-papo com os autores Cássia Valle, Adilson Passos, Renata Gobira e Luciana Silva. Às 10h30, o bate-papo com autor nacional será com a premiada ilustradora Ciça Fittipaldi. Encerrando a programação da manhã, às 10h30, o espetáculo do grupo de teatro Finos Trapos. No período da tarde, a partir das 14h30, a autora baiana Emília Nunes bate um papo sobre o livro Da Raiz do Cabelo Até A Ponta Do Pé. Em seguida, a partir das 15h30, pela primeira vez na Fliquinha, acontecerá um bate-papo com um autor internacional, e o convidado é o autor e ilustrador argentino Gusti, com a mediação de Mira Silva e Ciça Fittipaldi. Encerrando a tarde, será realizado o espetáculo infantil Os Fogatas, a partir das 16h30. À noite, a partir das 19h30, um bate-papo especial para professores e pais com os autores Gusti e Ciça Fittipaldi. Encerrando a programação da Fliquinha 2018, acontecerá o espetáculo musical com o grupo Quabales, no domingo (14), a partir das 9h30.

Intervenções Artísticas – A Flica contará também com diversas performances artísticas que serão realizadas durante todos os dias do evento nas imediações da Praça da Aclamação e shows escadaria do prédio histórico da Casa de Câmara e Cadeia. Realizada entre o final da tarde e início da noite a programação contemplará shows musicais, performances poéticas, espetáculos de dança e teatro.

Durante os quatro dias, a cidade de Cachoeira se transformará em um verdadeiro centro cultural que garante atrair mais de 30 mil visitantes em busca de muita história e conhecimento. A festa literária movimenta a economia da região, principalmente no setor de serviços, o que acaba criando empregos temporários. O evento gera um aumento no fluxo turístico em mais de 200% durante a sua realização e impulsiona os setores de alimentação, comércio e hospedagem. A ocupação atinge os 100% dos leitos, além das hospedagens em imóveis residências alugados, não apenas em Cachoeira, mais em cidades próximas como São Félix, Santo Amaro e Maragogipe.

Ao longo dos últimos sete anos, a Flica reuniu diversos autores sendo 28 internacionais, 67 nacionais e 75 locais. Dentre eles, nomes como Pepetela, Gonçalo M. Tavares, Meg Cabot, José Eduardo Agualusa, Paulina Chiziane, Javier Moro, João Pereira Coutinho e Sylvia Day, entre outros. E autores nacionais e locais como Ana Maria Machado, Martha Medeiros, Mary Del Priore, Cristovão Tezza, Laurentino Gomes, Miltom Hatoum, Jout Jout, Antonio Prata, Xico Sá, Marcia Tiburi, Maria Valéria Rezende, Paula Pimenta, Fabrício Carpinejar, Mãe Stella de Oxóssi, Ruy Espinheira Filho, Antônio Torres e João José Reis, entre outros.

Programação e outras informações: https://flica.com.br/a-cidade/

Fonte: Ascom



Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.