WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
facilit adriana calcados camara vitoria da conquista
Geral

AGERBA homologa legalização de transporte complementar de vans de Barra do Choça

Uma luta de muitos anos dos deputados Zé Raimundo (estadual) e Waldenor Pereira (federal) e do vereador de Barra do Choça,  Paulo Bateria (morto no ano passado) foi consolidada, com a legalização da Associação de  Transporte Especial Complementar – ASTEC. A legalização foi homologada pela Agência Estadual de  Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transporte e Comunicações da Bahia- AGERBA, durante visita de Zé Raimundo  e representantes da ASTEC, entidade que agrega um total de 48 vans responsáveis pelo transporte diário de 630 passageiros registrados, a maioria trabalhadores  pedreiros, domésticas, comerciários, além de professores e alunos, que vão para Vitória da Conquista e outros municípios próximos.

“Eu como filho não poderia deixar de continuar a luta de Paulo Bateria por Barra do Choça. Estamos comemorando e defendendo novos pleitos ” disse Danilo Rocha, representando a ASTEC junto com  Eusébio Carvalho e Tiago Oliveira. Também satisfeito com a realização do pleito da associação, Zé Raimundo reassumiu o compromisso de continuar apoiando o município. “Os  nossos mandatos, o meu e o do deputado Waldenor Pereira,  estarão sempre à disposição dos companheiros da Barra do Choça, em busca de melhorias da população deste importante município da nossa região”.

A Associação tem por finalidade realizar serviços contínuos de transporte complementar, agenciamento de transporte terrestre de passageiros, incluindo transporte municipal, intermunicipal (fretamento de Barra do Choça à Vitória da Conquista com passageiros fixos ou fretamento eventual para outros municípios) , e locação de veículos, com motorista; além de transporte de escolares. Por ser um serviço de transporte realizado com passageiros fixos é  exigido o registro dos transportados em lista dos veículos,  por parte da fiscalização oficial do estado. Mas esta exigência legal é dificultada pelo fato dos registros serem emitidos em Salvador, distante a 507 km. Por isso, os representantes da ASTEC reivindicaram na Agerba que este registro possa ser feito em Vitória da Conquista.

Fonte: Ascom

Texto: Joana D’arck 

Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar