WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
adriana calcados camara vccamara vc
GeralPolítica

Bolsonaro e Rui Costa trocam acusações acerca da morte do miliciano Adriano da Nóbrega

O clima entre o Presidente Jair Bolsonaro e o Governador da Bahia, Rui Costa, esquenta a cada dia mais. Desde do episódio da inauguração do aeroporto Glauber Rocha, em julho do ano passado, que a antipatia entre os dois é visível. Inclusive, em julho do ano passado, Rui Costa não participou da cerimônia do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista, mas que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro. Desde então o mal-estar entre os dias só aumenta.

No último sábado, 15, Rui Costa disse que seu governo não “mantém laços” com bandidos se referindo a uma afirmação feita pelo presidente que disse que o miliciano capitão Adriano havia sido morto pela “PM da Bahia, do PT”. Na rede social, o governador disse também que o Estado “não vai tolerar nunca milícias nem bandidagem” e que policiais têm direito de salvar suas próprias vidas quando atacados, “mesmo que os marginais tenham laços de amizade com a Presidência”. Em 2005, o então deputado estadual e hoje senador Flávio Bolsonaro, filho mais velho do presidente, concedeu a Medalha Tiradentes, mais alta condecoração da Assembleia Legislativa, ao miliciano. Flávio também empregou a mãe e a mulher de Adriano.

Bolsonaro então voltou a subir o tom contra o governador da Bahia. Em nota, emitida na noite de sábado, o presidente da República disse que “Rui Costa não só mantém fortíssimos laços de amizade com bandidos condenados em segunda instância, como também lhes presta homenagens”. Bolsonaro se refere à visita que o governador baiano fez, em junho de 2019, ao ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, quando o petista estava preso em Curitiba. De acordo com a nota da Presidência, a Polícia Militar da Bahia “não preservou a vida de um foragido, e sim sua provável execução sumária, como apontam peritos consultados pela revista Veja”. “É um caso semelhante à queima de arquivo do ex-prefeito Celso Daniel (assassinado em 2002), onde seu partido, o PT, nunca se preocupou em elucidá-lo, muito pelo contrário.”

*com informações do Portal Terra

Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar