WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
adriana calcados
Interesse Público

Waldenor pede urgência para votação do Fundeb: “estamos diante de uma tragédia educacional anunciada”

O coordenador do Núcleo de Educação do PT no Congresso Nacional, o deputado federal Waldenor Pereira (PT/BA) defendeu nesta quarta-feira, 1º, que a Câmara dos Deputados aprecie, vote e aprove com urgência o Fundeb – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, que tem vigência até 31 de dezembro de 2020.
“Estamos diante de uma tragédia educacional anunciada se o fundeb não for imediatamente colocado em pauta, votado e aprovado”, disse o deputado convocando os colegas de Casa para a mobilização pela votação da PEC 15/2015.
Segundo ele, “o governo Bolsonaro resolveu eleger a educação como o principal alvo dos seus ataques e das suas agressões”, mas o Parlamento precisa tomar o caminho contrário e salvar a educação básica do País.
O deputado afirmou que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), já se comprometeu publicamente em colocar em pauta a Proposta de Emenda à Constituição do novo Fundeb, mas pediu empenho para que a PEC seja incluída ainda no mês de julho, devido a importância do assunto.
“O Fundeb é a principal ferramenta, instrumento de financiamento da educação básica pública do Brasil, sendo responsável por 63% do seu financiamento. Infelizmente, a não aprovação do Fundeb representará o fim da educação pública no país. É importante destacar que a não aprovação do Fundeb representará o fim do piso salarial dos trabalhadores da educação”, afirmou.
A campanha pelo #VotaFundeb vem se fortalecendo e ganhando apoios nas redes sociais, entre a sociedade e comunidade escolar e vêm mobilizando parlamentares, entidades, educadores e estudantes na luta para que o Fundeb não chegue ao fim, levando à paralisia da educação básica em todo o país, afetando especialmente o Nordeste, onde 98% dos municípios precisam dos recursos destinados pelo fundo para a manutenção da educação pública.
Fonte: Ascom
Texto: Débora Silveira
Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar