WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
adriana calcados
Interesse Público

Cursos de qualificação profissional do Pronatec beneficiam mais de seis mil estudantes na Bahia

Os cursos de qualificação profissional do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), ofertados pela Secretaria da Educação do Estado, entram na fase de conclusão com a participação de 6.710 estudantes, dentre eles indígenas, quilombolas, agricultores familiares e camponeses assentados, o que corresponde a 100% das vagas de matrícula oferecidas à toda a população do estado.

As atividades dos Cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) estão sendo realizadas em formato on-line, na modalidade de Educação à Distância (EaD), desde 20 de julho, e englobam cursos de Agente de Assistência Técnica e Extensão Rural; Agricultor Familiar; Agricultor Orgânico; Microempreendedor Individual; Assistente de Recursos Humanos; e Promotor de Vendas.

Ao todo, são 122 turmas dos Eixos de Recursos Naturais e Gestão e Negócios. Desse total, foram contemplados 166 indígenas de 25 etnias e aldeias; 501 quilombolas; e 4.102 estudantes agricultores familiares, de povos e comunidades tradicionais. A oferta, que também alcança jovens e trabalhadores da cidade com alta vulnerabilidade socioeconômica, visa elevar a escolaridade dos estudantes e a prepará-los para o mundo do trabalho.

As aulas do curso de Agricultura Familiar estão sendo aproveitadas com entusiasmo por Natailton Barbosa, 50 anos, que pretende devolver os conhecimentos para a sua comunidade, em Água Fria, distrito do município de Irará.

“Tenho um projeto que já começo a colocar em prática onde eu moro, que é um galinheiro de 80 metro quadrados que estou construindo, junto com meu filho João Fernando, que também faz o curso. Quero ser um grande distribuidor de frango e ovos, bem como ajudar a montar outros galinheiros em cooperativa, para aumentarmos a produção na região. Meu projeto integrador do curso é justamente sobre ‘Criações de galinha’ e, graças ao que tenho aprendido, vou poder colocar em prática os meus conhecimentos, contribuindo com a construção de galinheiros tecnicamente estruturados. Estou adorando o curso, ele veio na hora certa”, conta.

Para o também estudante Raí Juriti de Oliveira, 22, o curso de Agricultura Familiar tem lhe aberto a cabeça para novas perspectivas profissionais. Ele, que também é aluno do primeiro semestre do curso História na Universidade do Estado da Bahia (Uneb), pretende fazer valer os conhecimentos teóricos que vem obtendo no Pronatec.

“Meu objetivo é colocar em prática o plantio de aipim na roça da minha família, em Água Fria, a partir dos conhecimentos teóricos que venho adquirindo. Estou gostando muito de ganhar nos conhecimentos por meios dos conteúdos do curso e minha ideia é me aperfeiçoar cada vez mais na área da Agricultura Familiar, ao mesmo tempo que darei prosseguimento ao curso de História, quando as aulas retornarem”, afirma Raí.

Interiorização

O superintendente da Educação Profissional e Tecnológica do Estado, Ezequiel Westphal, reforça que a Secretaria da Educação ressignificou o Pronatec, no ano de 2020, a partir do estudo detalhado de oferta e de demanda por capacitação profissional nos Territórios de Identidade do Estado da Bahia, buscando fazer o melhor planejamento territorial para a oferta de cursos técnicos de nível médio e de qualificação profissional, com vista a política de expansão e interiorização da Educação Profissional e Tecnológica proposta pelo Governo do Estado.

“A Educação Profissional toma novo sentido, por direito aos cidadãos e cidadãs, sendo inclusiva em sua diversidade e voltada à realidade dos territórios, no diálogo com a juventude e a população adulta, os movimentos sociais e as demais instituições da sociedade civil. É a proposta de uma escola-cidadã, na qual se valorizam os saberes, as experiências e as histórias de vida mediadas pela realidade com os conhecimentos a serem adquiridos”, avalia o gestor.

Olívia Cruz Menezes, monitora do curso de Assistência Técnica e Extensão Rural dos municípios de Feira de Santana, Juazeiro, Planaltino, Araci, Campo Formoso e Dom Macedo Costa, celebra a atividade. “Procuro ajudá-los no acesso ao Google Sala de Aula e contribuo na correção das tarefas e na devolução do feedback das mesmas. Venho percebendo, através das atividades, que eles avançam cada vez mais em relação à aprendizagem. E essas atividades feitas por ele são bem elaboradas, trazem opiniões e condizem com o solicitado pelo professor. Os cursos são de extrema importância para os estudantes, principalmente para o público que trabalhamos, pois, a maioria dele precisa de uma formação técnica e acadêmica”, relata.

A supervisora dos cursos, Márcia Santa Bárbara Oliveira, que atua nos municípios de Feira de Santana, Teodoro Sampaio, Antonio Cardozo, Conceição de Maria e Santo Estêvão, faz a sua avaliação sobre o aproveitamento das atividades por parte dos estudantes. “Eles são muito comprometidos e bastante criativos na construção dos seus projetos integradores, que é a atividade final do curso. Eles são esforçados, são guerreiros, ultrapassam as barreiras e vão em frente”.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado

Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar