WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
adriana calcados
Expressão BahiaInteresse Público

Conquista: grávida é enforcada e abandonada em matagal; companheiro é suspeito

Uma mulher grávida foi vítima de tentativa de feminicídio pelo companheiro na última sexta-feira (8), em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia. Após ser enforcada, a vítima acordou em um matagal sem nenhuma documentação.

De acordo com a mulher, que não quis ser identificada, ela se negou fazer um aborto proposto pelo companheiro. Ela detalha que no dia em que foi atacada. o homem a buscou no trabalho e disse que eles iriam fazer um passeio com um amigo em um distrito próximo, que fica a 30 minutos de Vitória da Conquista.

No local, o agressor enforcou a vítima e achou que ela havia morrido. No entanto, a mulher tinha apenas desmaiado. Ela foi deixada em um matagal sem nenhuma documentação.

Mais tarde quando acordou, a mulher conseguiu pedir ajuda a dois ciclistas que passavam pelo local.

“Foi Deus que colocou dois ciclistas passando na estrada, vindo na minha direção. Eu só tive força para levantar e acenar para eles me ajudarem”, comentou a mulher.

A vítima tinha um relacionamento com um homem de 30 anos e, após descobrir a gravidez, ficou sabendo que o companheiro era casado. A partir daí o homem se tornou agressivo e obrigou a mulher a abortar.

“Todo tempo ele me pressionava psicologicamente. Eu não tinha voz, porque ele me pressionava. Ele me buscava no trabalho, me procurava, falava que eu ia destruir a vida dele, que eu tinha que dar um jeito nisso”, relatou a vítima.

Violência contra a mulher em Conquista

Segundo informações da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), apenas em 2020, 2.004 ocorrências de violência contra a mulher foram registradas em Vitória da Conquista.

A delegada da DEAM, Gabriela Garrido, fez um alerta sobre o perfil do agressor.

“O perfil do abusador é extremamente variável, porque a violência doméstica, infelizmente, está em todas as classes sociais, em todos os meios. Então aqui eu tenho da mulher do médico à lavradora da zona rural”, afirmou Gabriela.

Fonte: G1 Bahia

Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar