WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
camaravc facilit adriana calcados
Expressão BahiaGeral

Conquista: Criação da Secretaria e do Conselho Municipal de Esportes tematizam audiência pública na Câmara

A Câmara Municipal (CMVC) realizou na tarde desta segunda-feira, 13, uma Audiência Pública para debater políticas públicas de cultura, esporte e lazer em Vitória da Conquista. A iniciativa é do mandato do vereador e presidente da Câmara Municipal, Luís Carlos Dudé (MDB).

Com o objetivo de incentivar a criação da Secretaria Municipal de Esportes e o Conselho Municipal de Esportes, várias autoridades destacaram a importância do esporte amador e profissional de Vitória da Conquista. Eles abordaram a realidade atual, disponibilidade de recursos, perspectiva de investimentos e projetos para esse setor e outras áreas da cultura, visando a promoção de lazer para a população. A audiência contou com a presença da intérprete de Libras, Jaqueline Silva.

Além de Dudé, participaram da audiência os vereadores Nildo Freitas (PSC), Alexandre Xandó (PT), Chico Estrella (PTC). Na mesa estavam também o secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Eugênio Avelino (Xangai), o secretário municipal de Educação, Edgard Larry, o presidente do ECPP, Ederlane Amorim, o coordenador de esporte e presidente da LCDT, Luciano Pina, o coordenador de campeonato interbairros, Marcos Lelis, o servidor público e desportista Helder Lobo, entre outros.

Na abertura da audiência, Luís Carlos Dudé destacou que apenas 1% do orçamento do município é destinado à cultura, percentual que ele considera pequeno. Ele defendeu a criação da Secretaria Municipal de Esportes, cuja pasta hoje está ligada à Secretaria de Cultura. “Precisamos do empenho de cada desportista, porque juntos podemos muito mais em relação ao esporte de Vitória da Conquista”, disse, acrescentando que o atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ednaldo Rodrigues, é conquistense, motivo de orgulho para todo o município e para a Bahia. “Isso mostra a importância de nossa cidade no contexto esportivo”, salientou. Ainda segundo Dudé, todas as grandes lutas travadas em Conquista nasceram na Câmara Municipal, como a construção do Ginásio de Esportes Raul Ferraz, e que o esporte sempre teve e continuará tendo o apoio do legislativo conquistense.

Edgard Larry, secretário municipal de Educação, parabenizou a iniciativa do mandato do vereador Luís Carlos Dudé em debater um tema que considera de suma importância para a sociedade. “Precisamos discutir as ações ligadas ao esporte. Historicamente, Vitória da Conquista sempre foi uma cidade reveladora de talentos e, por isso, precisamos nos organizar melhor, lembrando que esse trabalho já é uma luta de muitas décadas”, disse Larry, aproveitando para cobrar a implantação da Secretaria Municipal de Esportes. Conforme o secretário, o esporte no município tem potencial, mas ainda é pouco explorado. Disse que recentemente, ao assumir a Secretaria Municipal de Educação (Smed), começou a vislumbrar a possibilidade de estimular toda a rede municipal à práticas esportivas, com realização de grandes eventos, mobilizando toda a rede. “Fazemos coro com vocês para que possamos melhorar a questão do esporte no engajamento com a comunidade, viabilizando o acesso de todos ao esporte. Assim, teremos sucesso na formação das nossas crianças e adolescentes. É importante que estejamos juntos nessas ações”, disse.

Desportista ligado ao Futsal, Helder Lobo pediu mais apoio e investimento por parte do poder publico na reativação do Ginásio de Esportes, pois esse espaço tem feito muita falta aos desportistas da cidade.

O coordenador de Campeonatos Interbairros, Marcos Lélis, destacou que outras iniciativas como essa, voltadas para o debate de políticas públicas para o esporte, já aconteceram na cidade. Ele relembrou a trajetória do ECPP, que “viu potencial e oportunidade nessa área. “Nós também vimos e começamos a realizar os Campeonatos Interbairros, mas dependemos do poder público para financiar essas iniciativas”, explicou e disse que apesar da falta de apoio, o futebol amador continuou crescendo, mas atribuiu esse sucesso aos profissionais que militam na área. Lélis falou também da suspensão das atividades por causa da pandemia e relatou que em se tratando de esporte, Vitória da Conquista tem os melhores em tudo. “Temos os melhores dirigentes, os melhores árbitros e jogadores. Mas até agora o Poder Público ainda não iniciou uma estruturação para dar maior suporte a esse segmento. O esporte de Vitória da Conquista não pode estar atrelado a secretarias municipais, é muito grande para ser dependente de outras pastas. O esporte precisa ter uma dotação própria para seguir seu caminho”, afirmou.

O presidente do Esporte Clube Primeiros Passos (ECPP), Ederlane Amorim, falou da lacuna provocada pela falta de uma secretaria independente de esportes. “O esporte não deixa de ser um segmento de imponência em nossa educação. É uma área estratégica para atender os adolescentes em formação, porque o que vimos hoje são muitos adolescentes deixando de praticar esportes para ficar expostos à internet”, salientou. Ederlane relatou sua trajetória enquanto esportista e falou também da fundação do ECPP, ressaltando os desafios enfrentados pela diretoria devido à falta de recurso e de calendários sazonais. Segundo ele, a pandemia trouxe muitos prejuízos para o setor, por conta da suspensão das atividades esportivas, além do impacto emocional provocado pela ausência de práticas esportivas. Concluiu o seu discurso cobrando a criação de uma secretaria de esportes independente.

Coordenador Municipal de Esporte e presidente da Liga Conquistense de Desportos Terrestres (LCDT), Luciano Pina, destacou que o esporte acontece de segunda a segunda e ressaltou as modalidades esportivas que têm apresentado demandas na cidade, além da ocupação dos espaços de esportes. Também defendeu a criação da Secretaria Municipal de Esportes, falou do trabalho desenvolvido pela LCDT e destacou o trabalho feito pelas escolinhas do município. “Temos 32 quadras que precisam de manutenção e temos feito o possível para garantir a assistência desses espaços, até mesmo para reforçar o trabalho dessas escolinhas”, afirmou.

Eugênio Avelino Xangai, secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, lembrou do tempo que jogava futsal. Disse que existe necessidade, não do desmembramento, mas do debate e verificação junto à administração municipal para uma atenção maior com relação ao esporte. Falou de um projeto que contemple a integração das artes com as modalidades esportivas e comemorou o fato de o presidente da CBF ser de Vitória da Conquista. O secretário salientou a tradição do futebol amador e relembrou algumas personalidades do esporte conquistense, como Neca, João Pretinho e Marinaldo Dias Bacelar.

Coordenador de Esportes da Associação de Surdos de Conquista, Jadiel Araújo, disse que o esporte deve ser visto também como elemento de inclusão e que a associação tem desenvolvido um trabalho esportivo com pessoas surdas, as quais estão sendo treinadas todas as quintas e sextas-feiras para participar de competições em outras cidades. “Eu gostaria de estimular a comunidade surda a ocupar esses ambientes nas diversas modalidades esportivas, estou muito feliz em poder interagir com essa Casa, precisamos quebrar essas barreiras para podermos crescer e nos desenvolver. A gente quer crescer junto com vocês na busca por igualdade de direitos”, salientou.

Representando a capoeira, Thiago Brasil cobrou políticas públicas e espaços públicos que possam abranger a capoeira. Ele falou do campo da Ester e lamentou que o espaço esteja abandonado. Em seguida, destacou a relevância do trabalho social da capoeira e os atletas que estão sendo formados por esse trabalho, e aproveitou para pedir a criação de um campeonato de capoeira promovido pela Prefeitura Municipal.

Jogador e coordenador de Escolinha de Futebol, Danilo Santos pediu a inserção de todas as modalidades que tratam do esporte nessas políticas públicas. Agradeceu a chance de praticar o futebol. “Através do futebol, muitas portas se abriram para mim como cidadão e isso eu devo a personalidades como Piolho, Luciano Pina, entre outras”. Danilo relatou o trabalho social que tem feito na cidade, alcançando mais de 5 mil jovens por meio do futebol e enfatizou os desafios enfrentados por esses atletas, por sua condição social e pelas oportunidades dadas a esses talentos. Falou da importância de elevar o nome da cidade por meio do esporte e destacou as iniciativas do poder público em Recife, que estimula a formação de atletas, sugerindo que essas ações possam ser reproduzidas em Conquista também.

Ex-coordenador de Esporte e professor de basquete, Márcio Brito falou que as dificuldades dessa modalidade esportiva são as mesmas dos outros esportes. Relembrou sua trajetória no esporte e ressaltou a oportunidade que teve de ocupar o cargo de coordenador de esportes e suas frustrações no cargo, como o fechamento de espaços como o Ginásio de Esportes. “Estamos precisando de politicas públicas de práticas esportivas de qualidade, pois o esporte amador é construído por atletas profissionais”, disse e pediu a retomada dos espaços onde o esporte é praticado.

Naedson Amaral, árbitro de futsal, relembrou sua trajetória no futebol e sua formação como árbitro de futsal. “Temos atletas e árbitros qualificados, mas nem sempre foi assim”, disse e aproveitou para fazer um apelo em prol da arbitragem de todas as categorias. Lembrou dos árbitros que tiveram origem em Conquista e que ganharam destaque no cenário nacional, e nesse sentido cobrou mais estímulos para essa categoria.

Em seu discurso, o vereador Nildo Freitas parabenizou a iniciativa da audiência. “Eu não sou desportista, mas quero dizer que essa audiência pública é de extrema importância para apontar os rumos do esporte conquistense e estamos falando de várias modalidades esportivas”, disse. Ele destacou o trabalho que era feito nas escolas da cidade e o incentivo dado aos alunos e pediu a continuidade desses estímulos. “Na condição de vereador, creio que toda essa Casa dará apoio à criação da Lei de Incentivo ao Esporte. A criação da Secretaria de Esportes já deveria ter acontecido há muito tempo. Tenho certeza de que a Câmara dará apoio a todas essas demandas”, afirmou.

O vereador Alexandre Xandó iniciou o pronunciamento falando da necessidade de um intérprete de Libras na Câmara Municipal. Em seguida destacou a audiência pública que tratou sobre a prática de capoeira na cidade e a necessidade de espaços para a prática de diversas modalidades esportivas. “Estamos jogando capoeira em espaços inadequados, precisamos de concurso público para professor de capoeira”, conclamou. Xandó disse que está acompanhando a reforma do Ginásio de Esportes Raul Ferraz e falou das demandas apresentadas pelos desportistas de diferentes modalidades, como os de Rugby e o profissionalismo dos atletas, mas lamentou as limitações na expansão dessas modalidades. “Penso eu que precisamos ter também políticas públicas específicas para as mulheres, contemplando o esporte feminino”.

Outro assunto tratado por Xandó foram as quadras deterioradas, a ausência de fiscalização nesses espaços e a continuidade de projetos sociais, por meio do esporte, que seguem sendo ameaçados a cada gestão municipal. “Eu entendo que o Conselho Municipal de Esportes vai poder dar passos maiores em relação ao que estamos discutindo aqui. Porem, é preciso manter esse conselho em atividade”, concluiu.

Líder do Governo na Câmara, o vereador Chico Estrella lembrou da construção do Ginásio Raul Ferraz e do Estádio Murilão. “Em administrações anteriores, encontramos dificuldades para fazer reformas nesses espaços esportivos. Estamos reformando agora o Murilão, anos depois dessa demanda ser apresentada pela comunidade. Qual a dificuldade em dedicar empenho e esforço para alcançar essas demandas?”, questionou Chico, que também cobrou a criação da Secretaria de Esporte. Ele falou da expectativa de ter independência, poder e verba para tocar adiante as pautas do esporte em Vitória da Conquista. Aproveitou para ressaltar o trabalho de Ederlane Amorim na profissionalização do futebol de Conquista e do empenho da prefeitura em garantir apoio ao time nessa fase.

Vereadora de Salvador, Marcele Morais, irmã do ex-deputado Marcel Morais, parabenizou a iniciativa e falou da importância do esporte para as pessoas, ressaltando que em países desenvolvidos as crianças são estimuladas desde o ensino infantil a praticar esporte, o que infelizmente ainda não ocorre no Brasil. Defendeu também a necessidade de estímulo às mulheres para que elas tenham uma participação mais efetiva no esporte. Aproveitou o momento para chamar a atenção para as pautas de defesa dos animais e relembrou as ações desenvolvidas por Marcel Morais.

Finalizando a audiência, o vereador Luís Carlos Dudé reafirmou a proposta do encontro, cobrou a criação da Secretaria de Esportes e lembrou que já tinha levado essa proposta ao ex-prefeito Herzem Gusmão. Lembrou que a reforma administrativa imposta pelo Governo Federal não viabilizou a criação da secretaria e defendeu a necessidade de uma secretaria com dotação orçamentária própria e a garantia de espaços em praças públicas para a prática da capoeira.

Dudé destacou também a trajetória de Ednaldo Rodrigues, que ocupa hoje posição de presidente da CBF. “Conquista empresta seu nome para mostrar que temos homens e mulheres competentes, e Ednaldo é exemplo disso”, disse, lembrando outras referências no esporte como Minotauro e Minotouro.

Em seguida, pediu ao secretário de Cultura, Xangai, que enviasse à Câmara o Projeto de Lei de criação da Secretaria Municipal de Esportes e garantiu que a Casa aprovará a iniciativa. “Precisamos fazer mais e melhor pelo esporte e por todas as suas modalidades. Aproveito para agradecer a todos os presentes e pedir que essa campanha seja de toda a Casa e que resulte na criação dessa secretaria”, pediu, clamando à prefeita Sheila Lemos (DEM) que se dedique à criação da Secretaria de Esportes. “Essa audiência é o primeiro passo em direção a esse pleito”, concluiu.

Fonte: Ascom

Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar