WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Interesse Público

Cori destaca desempenho de Conquista em ranking do saneamento básico

Com 85% de cobertura de esgotamento, Vitória da Conquista saltou da 36ª colocação para 14ª no ranking do Instituto Trata Brasil. O dado foi apresentado pelo vereador Professor Cori (PT) na sessão, desta quarta-feira (23), da Câmara Municipal de Vitória da Conquista (CMVC). “É importante destacar que, se ainda não chegamos a atingir a marca de 100%, somos o município baiano com maiores possibilidades de alcançá-la nos próximos anos. Afinal, recordemos que o estudo publicado pelo Instituto Trata Brasil põe Vitória da Conquista em 14º lugar, ou seja, bem à frente das duas maiores cidades baianas: Salvador, 37ª colocada, e Feira de Santana, 61ª”, afirmou o vereador. O estudo se baseou em critérios como abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos, perdas, investimentos, arrecadação.

O parlamentar sublinhou que, ao total, já foram investidos quase R$ 240 milhões em obras para abastecimento de água e quase R$ 140 milhões em esgotamento sanitário. Segundo Cori, uma das obras fundamentais para que o município chegasse à marca de 85% de cobertura foi a instalação de uma Estação de Tratamento do Sistema de Esgotamento Sanitário (ETE). Construída há cerca de dois anos, a estação substituiu o antigo ‘pinicão’ e figura como uma das maiores do nordeste que utilizam o método de iodo ativado.  “Trata-se de um sistema construído a partir do planejamento sério e com compromisso com o povo de Vitória da Conquista, com investimentos por meio da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) que somaram R$ 120 milhões”, detalhou.

Outra obra destacada foi a Barragem do Rio Catolé que recebeu um investimento de mais de R$ 160 milhões. De acordo o vereador, foram beneficiadas diversas comunidades da zona rural como Cercadinho, Cabeceira da Jibóia, Farinha Molhada I e II, Quatis do Fumaça, Pedra Branca, Batuquinho, Chácara Guarany, Tabatinga I e II, Formosa, Lagoa do Torquato, Grama, Tabuleiro da Baiana, Lagoa do Boi, Corta-Lote, Distrito de Campo Formoso, Poço Verde, entre outras.

O edil parabenizou a equipe da Embasa em Conquista, especialmente o Gerente Regional, José Olímpio Cardoso da Silveira, os governos municipal e estadual pelas conquistas neste segmento.

Plano Municipal – Em sua fala, Professor Cori ressaltou o processo de elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico, tarefa empreendida pela gestão municipal com a colaboração da Embasa. Ele informou que o termo de referência já foi concluído. “Dentre os planos que estão sendo elaborados no município, o de Saneamento Básico será composto pelos planos de drenagem pluvial, esgotamento sanitário, energia elétrica, resíduos sólidos e abastecimento de água potável”, falou.

Conjuntura nacional – Ao final de seu discurso, o vereador comentou a atual situação política em que o país vive. Para ele, o momento requer postura, atitude e correção de rumos. Ele criticou o que considera investigações carregadas de parcialidade e generalizações. “O que se mostra na Lava Jato, essa operação realizada pela Polícia Federal, é que os 28 partidos que tem representação no Congresso Nacional estão sendo indiciados na Lava Jato”, detalhou.

Cori ainda sublinhou: “Roubo da merenda acontece em São Paulo, desvio de recursos está acontecendo em diversos estados de nosso país. Em que momento, então, na história devemos reconhecer o papel da política? É na capacidade de agrupar pessoas e apontar soluções”. O vereador ressaltou que os partidos só ganham vida com as pessoas. “Se há pessoas sérias, o comportamento partidário será sério. Se há pessoas desonestas, o comportamento político partidário será desonesto. É assim em todo canto”, falou.

Cori acredita que é necessário fortalecer as instituições e espera que autoridades, como o juiz federal Sérgio Moro, sejam respeitadas, mas também que cumpram seu papel de forma imparcial, honesta e sem seletividade partidária. Ele ainda afirmou que os partidos precisam rever suas posturas e apresentar um novo modelo ao país, porque sem os partidos só existe espaço para regimes de exceção. (Fonte: Ascom CMVC)

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar