WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
camara vc cmvc
DestaquesExpressão BahiaGeral

Deputados federais e estaduais do PT assinam nota de apoio a Ruy Azevedo para prefeito de Guanambi

As bancadas federal e estadual do PT da Bahia fecharam questão em torno do nome de Ruy Azevedo para prefeito de Guanambi. Em Nota de Apoio dirigida à Executiva e o Diretório estaduais do partido, os nove deputados estaduais e sete federais da legenda manifestam o “apoio incondicional à pré-candidatura do nosso companheiro Ruy Azevedo para o cargo de prefeito da cidade de Guanambi, pelo Partido dos Trabalhadores, nas eleições de 2024”.

Assinam o documento, datado de maio de 2024, os parlamentares estaduais Zé Raimundo, Rosemberg Pinto, Fátima Nunes, Maria Del Carmen, Marcelino Galo, Robinson Almeida, Neusa Cadore, Euclides Fernandes e Júnior Muniz. Os federais são: Waldenor Pereira, Jorge Solla, Zé Neto, Josildo Ramos, Ivoneide Caetano, Valmir Assunção e Josias Gomes.

Os parlamentares petistas afirmam que conhecem o Estatuto que rege as federações partidárias e reforçam o nome de Ruy Azevedo para prefeito pela Federação Brasil da Esperança. “É fundamental que as instâncias superiores da nossa Federação reflitam sobre a importância de termos em Guanambi uma candidatura que possa aglutinar as forças políticas e sociais progressistas e democráticas em torno de um projeto de cidade mais justa, humana e que esteja alinhada às políticas dos nossos governos estadual e federal”, diz a nota.

A nota da bancadas destaca o papel de militante político histórico do médico e professor de Medicina Ruy Azevedo, que foi candidato a prefeito em 1996, depois elegeu-se vereador em 2000 e para mais dois mandatos consecutivos. “Em seus três mandatos, atual sempre honrando os princípios e os compromissos programáticos em defesa dos interesses populares”. Esteve à frente da luta dos médicos pela democracia “na resistência ao golpe contra a ex-presidente Dilma Roussef e na prisão ilegal do presidente Lula, como também foi uma voz combativa contra a política “criminosa de negacionismo durante a pandemia da Covid”.

Fonte: Ascom

Foto: Vinícius Brito

Artigos relacionados

Fechar