WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
facilit adriana calcados camara vitoria da conquista
Interesse Público

Continua quebra de braços entre Prefeitura e motoristas de transporte alternativo de Conquista

Por Lílian Symaia/Foto: Blog Caíque Santos – A questão do transporte alternativo de Vitória da Conquista parece não ter fim e tem ganhado repercussão em todo o Estado. Representantes cobram agilidade da regulamentação do transporte alternativo e acusam o Prefeito de implantar operações que visam combater o transporte clandestino nas ruas da cidade, enquanto Prefeitura afirma que está impedido de regulamentar por conta de uma recomendação do Ministério Público. Durante a última sessão realizada na Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista, na última quarta-feira (28), diversas críticas foram feitas ao Prefeito Herzem Gusmão acerca do transporte alternativo no município. Na Tribuna livre, o representante da Associação dos Transportes Alternativos de Vitória da Conquista, Antônio Nonato, afirmou que a categoria estaria sendo perseguida pelo gestor municipal e cobrou dele a regulamentação do setor que foi promessa de campanha do mesmo e reforçou: “o Ministério Público recomenda fiscalização e combate ao transporte clandestino. Ele não recomenda perseguição, o que está acontecendo com os profissionais desta cidade hoje”, disse Nonato.

Todos os vereadores da Câmara Municipal se posicionaram favoráveis à categoria cobrando agilidade na resolução do problema, além de reclamarem da postura autoritário do Gestor que não discutiu com a Casa o problema e por estar perseguindo os mesmos com apreensão dos seus veículos.

Em nota à Redação do site Expressão Bahia, a Assessoria de Comunicação Prefeitura de Vitória da Conquista informou apenas que o edital de licitação para o transporte alternativo está suspenso por conta de uma recomendação do Ministério Público. “O município reforça ainda que não tem poder para suspender as blitzes de trânsito, visto que isso poderia incorrer em crime de responsabilidade e até mesmo de improbidade administrativa. A prefeitura reforça também que continua em defesa da regulamentação do transporte alternativo”.

Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar